sexta-feira, 21 de outubro de 2011

COMO OS VERDADEIROS CRISTÃOS VEEM A MORTE À LUZ DA BÍBLIA?










Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Entretanto se o viver na carne traz fruto para o meu trabalho, já não sei o que hei de escolher. Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.” (Fil. 1.21-23)
   
      A experiência da morte é uma realidade para todos. Os cristãos, mesmo depois de terem sido justificados pela graça irresistível de Deus ao receberem o Senhor Jesus pela fé, e assim terem garantida a sua salvação, não são poupados da morte física, conseqüência do pecado original. Os filhos adotivos de Deus (os verdadeiros Cristãos) certamente passam pela morte, ninguém escapa, muito embora os que estiverem vivos quando o Senhor Jesus voltar  fisicamente à Terra não morrerão, mas serão transformados (1 Cor. 15.51-52 ). Conhecemos somente a história de dois homens que. Trata-se, realmnte de casos especiais que servem para demonstrar o que realment irá acontecer com a Igreja militante quando o Senhor Jesus voltar. Foram poupados da morte, tendo sido transformados em corpos glorificados e elevados (arrebatados) ao céu; realmente, de acordo com a Bíblia é isso que irá acontecer na volta de Cristo qualquer for o lugar em que a pessoa estiver. Num abrir e fechar de olhos, nossos corpos serão transformados e assim sendo podemos afirmar que isto aconteceu antes mesmo da primeira vinda de Cristo, para nos servir de exempolos. Esses foram Enoque (Gen. 5.24) e o profeta Elias (2 Rs. 2.11). 
     Assim sendo, nós , cristãos verdadeiros, podemos afirmar que a morte física não existe. Até mesmo nossos corpos ficarão na terra, outros,  no fundo dos rios, oceanos ou mares, outros ainda, poderão serem cremados ou queimados durante os grandes incêndios. A Bílbia porém diz que naquele Grande Dia, a terra, o fogo e a água darão os seus mortos. Nossos corpos físicos não estarão mortos e sim transformados em outros elementos para um dia ressuscitarem e receberem nossos espíritos que retornarão com Cristo em sua primeira vinda. Aqueles que já partiram desde o início do mundo, crendo em Deus, como por exemplo, Adão, Eva, Abraão, Isaque, Jacó e os profetas certamente ressuscitarão “em carne e osso” no dia do retorno do nosso Senhor. Mas, o que acontece com nossa alma, depois da morte, no período entre a morte até a ressurreição?
Quando o cristão morre, sua alma fica dormindo ou vai direto para Deus?
     A morte é a interrupção temporária da vida no corpo e a separação do espírito do corpo. Nós somos de natureza tricotômica, ou seja, somos formados de espírito, alma e corpo. Nosso espírito é a nossa vida, nosso homem interior, o verdadeiro ser; ao passo que a nossa alma é a sede todas as nossas emoções e o nosso corpo (energia e massa), matéria, a parte visível e esta que todos podem ver e tocar. Não tem vida nem sentimentos depois da morte. Quero, porém destacar que , nossos corpos são especiais, pois eles são nossos tabernáculos aqui na terra e depois de ressuscitados passaremos a habitá-los novamente, durante os sete anos no Céu, após o arrebatamento e depois, reinando no milênio. É por isso que Deus quer que espírito, alma e corpo sejam santos. Quando o cristão morre, embora o corpo permaneça na terra, no fogo ou na água, no momento da morte, o espírito, juntamente com a alma vai imediatamente para a presença de Deus, cheia de alegria. Quando o apóstolo Paulo pensava em sua morte, ele afirmou: “Preferindo deixar o corpo, e habitar com o Senhor” (2 Co 5.8). Deixar o corpo é estar com o Senhor, no Céu. Vemos isso quando da parábola do rico e Lázaro. Vemos o rico sofrendo no inferno. Podemos ver aqui a alma e o espíto, vivos. A alma sentindo as emoções ( sede, saudade e medo de que os seus fossem para aquele lugar horrível. Lázaro está vivo e sendo consolado. Tanto uma parte como a outra, estão com os seus corpos sepultados, porém vivos no mundo espiritual. Esta é uma realidade que ninguém pode mudar. Só quem pode separar alma e espírito é a Palavra, no entanto, a boa notícia, o evangelho, ao penatrar em nossas mentes, vivificam nossos espírtos e estes, uma vez vivificados, transformam nossas almas, emoções, em sentimentos bons.LOGO MORTE NÃO EXISTE. NEM FÍSICA, NEM ESPIRITUAL. Um dia, no juizo final os corpos dos impios ressuscitarão e também receberão suas almas e espírtos, para completos, serem lançados, juntamente com o diabo e seus anjos para o lago de foro. Nesse dia o inferno e a morte serão lançados no lago de fogo. Paulo diz que  seu desejo é “partir e estar com Cristo” (Fp. 1.23). Jesus também disse ao ladrão que estava morrendo ao lado dele na cruz: “Hoje estarás comigo no paraíso[1]” (Lc 23.46). Podemos entender aqui que os dois ladrões tiveram seus corpos sepultados, porém seus espítos tiveram destinos diferentes. Um foi para o seio de Abraão e o outro para o inferno, ou hades.
A Bíblia não ensina que a alma fica dormindo.
     O fato de que o espírito dos cristãos vai imediatamente para a presença de Deus também significa que a doutrina do sono da alma está errada. Essa doutrina ensina que quando os cristãos morrem, eles entram em um estado de existência inconsciente e que voltarão à consciência somente quando Cristo voltar e ressuscitá-los para a vida eterna. Essa doutrina tem sido ensinada eventualmente por alguns na história da igreja, inclusive alguns anabatistas da época da Reforma e alguns seguidores de Edward Irving na Inglaterra no século XIX. Na verdade, um dos primeiros escritos de João Calvino foi um folheto contra tal doutrina, a qual nunca teve ampla aceitação na igreja. O certo é que quando Cristo ou Paulo dizia que um morto “dormia” estava usando uma metáfora, referindo-se ao sono do corpo, que irá ressuscitar e, portanto, quando morto, fica como se estivesse “dormindo”. Sendo assim, quando Salomão fala do lugar onde não existe mais nada, não está falando do espírito e sim dos corpos que entraram em decomposição. Somente Cristo e Paulo vem nos ensinar corretamente sobre tais assuntos. Crremos também que Salomão falava das coisas que via abaixo do Sol, ou seja, das coisas materiais e não espírituais. Erram muitas pessoas por falta de conhecimento e interpretação, a luz da Palavra.
A Bíblia (os livros verdadeiramente inspirados – os canônicos).
     Também não ensinam a existência de um purgatório.Essa é uma doutrina de cunho puramente econômico, como muitas outras. O fato de que o espírito do cristão vai imediatamente para a presença de Deus nos leva indubitavelmente a concluir que não existe algo como o purgatório. Na doutrina católica romana, o purgatório é o lugar onde a alma do cristão é purificada do pecado até que esteja pronta para ser aceita no céu. De acordo com esse pensamento, os sofrimentos do purgatório são dados a Deus como substitutos do castigo pelos pecados que os cristãos mereciam ter recebido, e não receberam. Paulo, o apóstolo, mesmo reconhecendo-se “o maior dos pecadores” (1 Tim. 1.15) sabia e escreveu, por inspiração divina, que ao partir, estaria com Cristo (Fil. 1.23); não passaria por nenhum “purgatório”. Este ensino do purgatório entra em choque com a certeza de Paulo e encontra fundamento apenas nos livros apócrifos, incorporados ao Velho Testamento da Igreja Católica Romana em 1546, e já estudamos e sabemos porque eles não fazem parte da revelação de Deus. Isso não passou de uma das estratégias da Igreja para continuar ganhando dinheiro, fazendas e se tansformar na maior senhora feudal de todos os tempos.
Se não existe o “sono da alma”, para onde vai imediatamente a alma de um incrédulo, depois que morre?
     A Bíblia nunca nos incentiva a pensar que haverá segunda chance de aceitar a Cristo depois da morte. Na verdade, o quadro é exatamente o oposto. A parábola do rico e de Lázaro nos ensina que o rico foi imediatamente para o Hades (Sheol em Hebraico), para o lugar de tormentos, e não dá esperanças de que seja possível passar de lá para o paraíso depois da morte, apesar de ter o rico clamado no Hades: “Pai Abraão, tem misericórdia de mim! E manda a Lázaro que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama”. Abraão, entretanto, respondeu: “Há um grande abismo entre nós e vós, de forma que os que desejam passar do nosso lado para o seu, ou do seu lado para o nosso, não conseguem.” (Lc. 16.26b NVI). Lamentavelmente, a alma dos descrentes vai imediatamente para o lugar de tormentos e lá aguardará até o juízo final, quando será lançada no fogo eterno (lago de fogo). Não há segunda chance. A chance de receber o Senhor Jesus é aqui na terra, enquanto vivo. Por isso Deus disse ao rico, que ouçam a Moisés e os profetas, em outras palavras: que eles leiam o que está na lei e nos profetas e obedeçam. Hoje, quem quiser escapar do inferno deverá ouvir a pregação da palavra, ser convencido pelo Espírito, arrepender-se e receber a Cristo, como único Senhor e Salvador. Não existe meio termo.

      O paraíso ou “Seio de Abraão” (Lucas 16:19; 23.43) era um lugar intermediário de felicidade, em um dos lados do Hades (mundo dos mortos, que creio ser o mesmo que inferno), onde as almas dos salvos antes de Cristo aguardavam conscientes (Lucas 16:26) até o dia da ressurreição de Cristo, quando eles então ressuscitaram (Mat. 27.52-53) e subiram ao céu com ele. O Hades tinha dois lados separados entre si por um abismo intransponível. O “Seio de Abraão” era separado do lugar de tormentos. Depois de Cristo, os crentes, quando morrem, vão direto para o céu “Estar com Cristo” (Filip. 1.23; 2 Cor. 5.8). Por outro lado, o lugar de tormentosdo Hades ainda existe, e é aonde os não-salvos vão depois que morrem, para aguardar oGrande Trono Branco (juízo final), que acontecerá depois do Milênio, quando, então, irão de lá para o lago de fogo como já disse anteriormente juntamente com o diabo, a besta e o falso profeta.(Apoc. 20.5; 20;11-15). Quando Jesus morreu,foi ao inferno, tomou as chaves da mão do diabo e todos puderam vÊ-lo. Ele foi ao inferno, o mesmo que hades,  esteve no lado do paraíso e lá proclamou o evangelho e trouxe os salvos à ressurreição, e os levou ao céu (Ef. 4.9-10). Todos desde os primeiros salvos até o último que estava no paraizo, foram transladados por Cristo, na madrugada do Domingo da Ressurreição, diretamente para a presença de Deus, onde permanecerão até o dia do retorno de Cristo para o arrebatamento, quando receberão seus corpos glorificados e aí sim, todos nós que estivermos vivos e fomos alcançados pela GRAÇA IRRESISTÍVEL, por isso dizemos que SALVOS UMA VEZ, SALVOS SEMPRE, pois somos chamados pelo Decreto de Deus e ninguém pode mudar isso, iremos todos para o céu e permaneceremos lá , como já disse até retornarmos novamente para reinarmos com Cristo no milênio. O muito voltará a ser o que era na época do Jardim do Édem , não eternamente como pensam os Testemunhas de Jeová, mas somente num perído de mil anos até que o diabo seje solto, engane a muitos, para que possa acontecer a segunda ressureição daqueles que estão vivos e consientes no inferno,, para que possam receber seus corpos irmortais, semelhantes ao de seu pai, o diabo, para que juntos se vão ao lago de fogo com o inferno e tudo mais que tenham direito.

Amados, cuidado com doutrinas falsas. Leiam a palavra, obedeçam-na, preguem-a.

Até a próxima mensagem.

Lontino Sampaio
Pastor Evangélico e Professor de História. 
prleontino@hotmail.com