quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

NEGÓCIOS QUE DÃO DINHEIRO: ESTUDE À DISTÂNCIA - PARCELAS QUE CABEM EM SEU BOL...

NEGÓCIOS QUE DÃO DINHEIRO: ESTUDE À DISTÂNCIA - PARCELAS QUE CABEM EM SEU BOL...: Olá, Feliz Ano Novo! QUE SEUS NEGÓCIOS SEJAM ESPETACULARES, QUE VOCÊ POSSA TER MUITA PAZ, SÁUDE, DISCERNIMENTO, SABEDORIA E CONHECIMENTO, ...

domingo, 25 de dezembro de 2016

NEGÓCIOS QUE DÃO DINHEIRO: VENÇA A CRISE! QUALIFIQUE-SE!!

NEGÓCIOS QUE DÃO DINHEIRO: VENÇA A CRISE! QUALIFIQUE-SE!!: Olá amigo(a), boa tarde! Feliz Natal e um Ano Novo Abençoado! Que em 2017, você possa começar diferente. Prepare-se, estude a distância a...

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

PESCARAM O NOITE INTEIRA MAS NÃO PEGARAM NADA...

FONTE DA IMAGEM: GOOGlE IMAGEM









TEXTO BÁSICO: "João 21:2-3: "Estavam juntos Simão Pedro; Tomé, chamado Dídimo; Natanael, de Caná da Galiléia; os filhos de Zebedeu; e dois outros discípulos. 'Vou pescar,' disse-lhes Simão Pedro. E eles disseram: 'Nós vamos com você.' Eles foram e entraram no barco, mas naquela noite não pegaram nada."


Para nosso reflexão de hoje

Você observou que coisa interessante! Interessante e encorajador que, neste determinado versículo, apenas três discípulos de Jesus são mencionados: o negador e os céticos! Pedro negou Jesus três vezes. Natanael duvidava que algo de bom pudesse vir de Nazaré e Tomé viveu a descrença e a dúvida sobre a ressurreição de Cristo até ter provas concretas ou seja, até colocar os seus próprios dedos nas feridas do mestre. No entanto, Jesus os chama de "amigos" no versículo 5 e decide demonstrar Seu amor incondicional em uma linguagem de amor que podiam compreender: fogo e peixe! Eu posso lembrar e sentir a emoção de Pedro ao  olhar a fogueira que assou aquele peixe e na memória,lembrar-se de que quando Jesus estava sendo interrogado, ele O negou três vezes enquanto se aquentava na fogueira. Creio que Jesus estava fazendo uma cura interior na mente de Pedro.

Claro que muito  provavelmente, Pedro  ainda estava se recriminando por ter negado Jesus três vezes, declara: "Vou pescar." Essa atitude mostra que ela estava completamente desolado. Voltar aos seus antigos negócios, demonstram claramente que ele estava completamente foro daquele foco que Jesus havia inculdo, não somente nele, mas nos outros também. Seus amigos decidem ir com ele. Mas o que aconteceu? Pescaram a noite toda, e não pegaram nada. É isso que acontece quando abandonamos os propósitos de Jesus para nossas vidas e deixamos de lado a Sua vontade que é, como a Bíblia diz, sempre perfeita, boa e agradável. Mas Jesus aparece em cena e decide demonstrar o Seu amor pela última vez de uma maneira que irá abençoá-los totalmente e para sempre. Ele lhe diz para jogar a rede do outro lado do barco. Ora eles poderiam ter sido teimosos e arrogantes e dizerem: "Isso é ridículo. Somos pescadores profissionais, qualificados, sabemos os horários e os locais certos. Crescemos fazendo isso, nós sabemos o que estamos fazendo. É claro que , humanamente falando, jogar a rede para o outro lado do barco não iria influir em nada, pois na lógica humana, não teria nada a ver.  "Mas escolheram fazer o que esse homem lhes disse, antes mesmo de saberem que era Jesus! Observe que coisa linda, fantástica, sobrenatural, os sinais que se seguem. Você não acha maravilhoso? A pesca foi tão significativa que, como verdadeiros pescadores, até contaram os peixes - 153! Na verdade, tinha sido tão surpreendente que "Eles sabiam que era o Senhor." Eles não poderiam tomar nenhum crédito! Foi realmente sobrenatural. Que tal você ler o capítulo 21 todo.

Jesus compartilhou o café da manhã com eles, Suas palavras de despedida a Pedro, conhecido por todos nós, como o discípulo que negou Cristo, foi: "Cuide dos meus cordeiros," "Pastoreie as minhas ovelhas" e "Siga-me." Você entenderá e ficará maravilhado com as perguntas que Jesus fez a Pedro.

Pare e pense... como cristão já houve ocasiões em seu passado em que você negou Cristo com suas palavras, ações ou até mesmo em pensamentos. Você já teve uma oportunidade de  defender Jesus e não o fez, por vergonha ou medo? Já se sentiu desencorajado e se perguntou se seria possível fazer as pazes com Ele? Já teve vontade de chutar o balde, pedir o cartão de membros e voltar para o mundo de onde saiur? Acalme e seu coração! Coragem!! O Divino Pai Eterno, criador,mantenedor e sustaddor de todas as coisas; o Onipresente, Onipotente e Onisciente conhece todas as coisas, inclusive nossos pensamentos e nossas fraquezas e Ele nos chama de "amigos." Chegamos ao final de nossa reflexão de hoje, e cremos que Jesus está falando conosco. Ele está perguntando mesmo assim: "Você realmente me ama?" Se pudermos responder de coração: "Sim, Senhor, Tu sabes que eu Te amo," então Jesus está dizendo para cada um de nós, "Pastoreie as minhas ovelhas." É esta a função da Igreja e ficar somente amedrontados detro das quatros paredes. O conceito verdadeiro de Igreja e chamados para fora! Cai fora das quatro paredes e vamos ser Igreja, confessando e defendendo o nosso Mestre, perante esse mundo hedonista,materialista, selvagem, cujo Deus é o dinheiro, o santo de devoção maior, o que na verdade , não poderia estar acontecendo pois Ele é o ùnico Santo e Verdadeiro Deus. Pense bem...

Ore comigo agora

Papai, em o nome do Senhor Jesus, me coloco no lugar de Pedro, penso que ele deve ter ficado muito triste por sua fraqueza na hora da tentação, como eu tenho ficado. Pedro, tão forte e ousado, se transformou num instante em um covarde quando confrontado com a possibilidade de Te defender. Ele te negou e até mesmo esbravejou, xingou. Vimos que até  mesmo seus amigos mais próximos sentiram a sua dor e se reuniram em torno dele, indo pescar com ele. Eles voltaram as antigas práticas, como os hebreus queriam voltar para Egito. Tu, viste tudo, Jesus. Emocionado, estou tocado pelo fato de que Tu demonstraste Teu amor e perdão. Vi isso, quando os convindou para comer. Tu sabias que uma grande pesca os emocionaria e Tu os abençoastes como deve ter sido o assunto da cidade! Quantos comentários. Meu coração é grato pela maneira como  Tu me guiastes através de Tua preciosa Palavra neste capítulo 21 de João. Continua a falar comigo, com os meus leitores, amigos e irmãos na minha caminhada de fé. Em nome de Jesus, Papaizinho querido eu oro, intercedo, em o Nome que está acima de todos os nomesm Em O Nome do Senhor Jesus. Amém!!


Você já leua a sua Bíblia hoje? Que tal começar pelo Livro de João?

Até a próxima. Graça e Paz vos sejam multiplicadas em Cristo Jesus

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

O QUE ACONTECEU QUANDO A VAQUINHA FOI JOGADA PRECÍPIO ABAIXO PELO AUXILIAR DO SÁBIO.


QUANDO DEUS FECHA UMA JANELA, ABRE AS PORTAS, QUANDO QUEBRA OS DENTES, ABRE A GARGANTA
FONTE : Página Juliana Be - Fr Promotora



Não deixe de ler:
PORTEIRO DO PUTEIRO
Uma história verídica, que traz lição para todos!
Não havia no povoado pior emprego do que ‘porteiro da zona’.
Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem?
O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem escrever, não tinha nenhuma outra atividade ou ofício.
Um dia, entrou como gerente do puteiro um jovem cheio de ideias, criativo e empreendedor, que decidiu modernizar o estabelecimento.
Fez mudanças e chamou os funcionários para as novas instruções.
Ao porteiro disse:
- A partir de hoje, o senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários e reclamações sobre os serviços.
- Eu adoraria fazer isso, senhor, balbuciou – Mas eu não sei ler nem escrever.
- Ah! Quanto eu sinto! Mas se é assim, já não poderá seguir trabalhando aqui.
- Mas senhor, não pode me despedir, eu trabalhei nisto a minha vida inteira, não sei fazer outra coisa.
- Olhe, eu compreendo, mas não posso fazer nada pelo senhor. Vamos dar-lhe uma boa indenização e espero que encontre algo que fazer. Eu sinto muito e que tenha sorte.
Dito isso, deu meia volta e foi embora. O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. Que fazer?
Lembrou que no prostíbulo, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava, com cuidado e carinho.
Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um emprego.
Mas só contava com alguns pregos enferrujados e um alicate mal conservado.
Usaria o dinheiro da indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa.
Como o povoado não tinha casa de ferragens, deveria viajar dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra. E assim fez.
No seu regresso, um vizinho bateu à sua porta:
- Venho perguntar se você tem um martelo para me emprestar.
- Sim, acabo de comprá-lo, mas eu preciso dele para trabalhar, já que…
- Bom, mas eu o devolverei amanhã bem cedo.
- Se é assim, está bem.
Na manhã seguinte, como havia prometido, o vizinho bateu à porta e disse:
- Olha, eu ainda preciso do martelo. Porque você não o vende para mim?
- Não, eu preciso dele para trabalhar e além do mais, a casa de ferragens mais próxima está a dois dias de viagem, de mula.
- Façamos um trato – disse o vizinho.
Eu pagarei os dias de ida e volta, mais o preço do martelo, já que você está sem trabalho no momento. Que lhe parece?
Realmente, isto lhe daria trabalho por mais dois dias. Aceitou.
Voltou a montar na sua mula e viajou.
No seu regresso, outro vizinho o esperava na porta de sua casa.
- Olá, vizinho. Você vendeu um martelo a nosso amigo.
Eu necessito de algumas ferramentas, estou disposto a pagar-lhe seus dias de viagem, mais um pequeno lucro para que você as compre para mim, pois não disponho de tempo para viajar para fazer compras.
Que lhe parece?
O ex-porteiro abriu sua caixa de ferramentas e seu vizinho escolheu um alicate, uma chave de fenda, um martelo e uma talhadeira. Pagou e foi embora. E nosso amigo guardou as palavras que escutara: ‘não disponho de tempo para viajar para fazer compras’.
Se isto fosse certo, muita gente poderia necessitar que ele viajasse para trazer as ferramentas.
Na viagem seguinte, arriscou um pouco mais de dinheiro, trazendo mais ferramentas do que as que já havia vendido.
De fato, poderia economizar algum tempo em viagens.
A notícia começou a se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viagem, faziam encomendas.
Agora, como vendedor de ferramentas, uma vez por semana viajava e trazia o que precisavam seus clientes.
Com o tempo, alugou um galpão para estocar as ferramentas e alguns meses depois, comprou uma vitrine e um balcão e transformou o galpão na primeira loja de ferragens do povoado. Todos estavam contentes e compravam dele.
Já não viajava, os fabricantes lhe enviavam os pedidos. Ele era um bom cliente. Com o tempo, as pessoas dos povoados vizinhos preferiam comprar na sua loja de ferragens, a ter de gastar dias em viagens.
Um dia ele lembrou de um amigo seu que era torneiro e ferreiro e pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos.
E logo, por que não, as chaves de fendas, os alicates, as talhadeiras, etc …
E após foram os pregos e os parafusos…
Em poucos anos, ele se transformou, com seu trabalho, em um rico e próspero fabricante de ferramentas.
Um dia decidiu doar uma escola ao povoado.
Nela, além de ler e escrever, as crianças aprenderiam algum ofício.
No dia da inauguração da escola, o prefeito lhe entregou as chaves da cidade, o abraçou e disse:
- É com grande orgulho e gratidão que lhe pedimos que nos conceda a honra de colocar a sua assinatura na primeira página do livro de atas desta nova escola.
- A honra seria minha, disse o homem. Seria a coisa que mais me daria prazer, assinar o livro, mas eu não sei ler nem escrever, sou analfabeto.
- O Senhor? disse incrédulo o prefeito. O senhor construiu um império industrial sem saber ler nem escrever? Estou abismado. Eu pergunto:
- O que teria sido do senhor se soubesse ler e escrever?
- Isso eu posso responder, disse o homem com toda a calma: – Se eu soubesse ler e escrever… ainda seria o PORTEIRO DO PUTEIRO.
Então diga seu nome para que possamos escrever ao menos na ata. Meu nome é Valentin Tramontina, respondeu ele.
Essa história é verídica, e refere-se ao grande industrial Valentin Tramontina, fundador das Indústrias Tramontina, que hoje tem 10 fábricas, 5.500 empregados, produz 24 milhões de unidades variadas por mês e exporta com marca própria para mais de 120 países – é a única empresa genuinamente brasileira nessa condição. A cidadezinha citada é Carlos Barbosa, e fica no interior do Rio Grande do Sul.
Geralmente as mudanças são vistas como adversidades.
As adversidades podem ser bênçãos.
As crises estão cheias de oportunidades.
Se alguém lhe bloquear a porta, não gaste energia com o confronto, procure as janelas.
Lembre-se da sabedoria da água: ‘A água nunca discute com seus obstáculos, mas os contorna’.
Que a sua vida seja cheia de vitórias, não importa se são grandes ou pequenas, o importante é comemorar cada uma delas.








Foto de FR Promotora.










Foto de FR Promotora.