sexta-feira, 17 de maio de 2013

GERAÇÃO DIAZEPAM OU PLIM...PLIM...

Diazepam – Wikipédia, a enciclopédia livre - Wikipédia - Wikipedia pt.wikipedia.org/wiki/Diazepam Diazepam é fármaco da família dos benzodiazepínicos, heterocíclico, pó cristalino, usado como ansiolítico, anticonvulsivante, relaxante muscular e sedativo. 
      A wikipédia, bem defini o Diazepam. E aqui poderíamos colocar outros medicamentos devido o tema que iremos tratar. Quando digo geração Diazepam estou falando sobre a geração de hoje, encabrestada, enviseirada, enlatada e pensando que está vivendo a verdadeira democracia. A geração plin...plim refere - se também a esta mesma geração amortecida e criada por uma linda babá, que doravante , vamos chamá-la de Projac ou Rede Globo de Televisão. Poderia usar o nome de outros sistemas, mais uso este, pois a meu ver é o mais poderoso e influente, na arte de hipnotizar o povo brasileiro.
      Diazepam, Alprazolan, Prozac, Projac é tudo a mesma coisa em matéria de hipnotizar e controlar o povo como massa de manobra para se chegar ao fim desejado: Consumir, consumir, consumir... O povo , então hipnotizado, compra o que a mídia determina, pois vira um consumista doente, sem ter o poder de discernir entre o certo e o errado, pois perdeu a muito tempo o controle de sua vontade. É por isso mesmo que não acredito em livre - arbítrio, ou melhor, só um pouquinho.
     Penso que quando o homem ainda estava no Édem em sua total inocência, era totalmente livre, mas pecando contra o Criador, perdeu o poder de escolha. A partir do dia em que foi expulso do Paraiso, o homem perdeu toda àquela capacidade que tinha de escolha e muitas outras mais, que não quero aqui citar.
    O homem quando recebe o Palavra libertadora, o seu espírito morto, revive e aí então, ele pode escolher de quem quer ser escravo: De Deus ou do diabo. Não existe liberdade, ou você é escravo de Deus ou do diabo. Vamos deixar isso prá lá e voltemos ao nosso tema principal : GERAÇÃO DIASEPAM OU PLIN...PLIN? Se formos analisar o ser humano como a Bíblia diz que é , ele é formado de três partes: Espírito, alma e corpo. E, quando qualquer uma dessas partes não vão bem, como o homem e um ser global, ou seja, visto como um todo sofre... O mundo , o homem está doente, segundo o conceito de saúde.     Olha só como se conceitua saúde de acordo com a Organização Mundial de Saúde: "É um bem estar físico, mental e social". Fala sério! Como um povo como o nosso que desde o seu início teve uma colônia de exploração, pode ter saúde? Tanta pressão exercida pelo dominante de cima para baixo, não poderia gerar outra coisa, senão a depressão, mal do século!!!
      Quando o Brasil foi "descoberto", veio para cá os degredados, umas cem moças virgens e órfâs, padres jesuítas. Essas moças vieram para evitar o casamento dos portugueses com índias e africanas, mas isso não aconteceu e hoje somos uma mistura abençoada de brancos, negros e índios. A causa dos sofrimentos da geração que temos hoje, está na maneira como fomos colonizados, pois o Brasil foi dominado por forças avassaladoras altamente incomparáveis com a dos índios que não quiseram aceitar o domínio. Eles tiveram suas terras roubadas e mais...
      Muito bem, pensem comigo, somando os índios, os degredados, os negros trazidos à força da África para fazerem tudo aquilo que o dominador não queria fazer, resultou em uma geração que apesarde ser bonita, quem sabe, a mais linda do mundo, está enferma emocionalmente, pois ela é produto de um povo revoltado, dominado, devido aos problemas no início de sua formação. Se olharmos em conjunto veremos um povo com complexo de inferioridade e tantos outros problemas que hoje estão sendo refletidos no meio em que vivemos.
     As patologias não são só as  emocionais , e  também  as  físicas e espirituais. Essas crises que vivemos hoje, tanto na esfera física ou espiritual, como o medo, a angústia, a solidão, depressão, toc, têm sua origem em problemas não resolvidos, como no caso da dominação. Podemos dizer que o mundo está enfermo. 
     Enfermo, por que? Poque desde a queda do homem este perdeu o seu status de dominador e passou a ser dominado por outros mais poderosos. Olha só, Adão tinha todo domínio e poder sobre um pé de fumo por exemplo, hoje, muitos de seus filhos são dominados pelo fumo e outras drogas lícitas e ilícitas. Ora , o mundo está enfermo.
      Como o homem pode ter saúde física, se não tem acesso a uma boa alimentação, moradia saudável, local de trabalho decente, lazer e outros? Como pode ter saúde mental, se vive pressionado por todos os lados e não tem como atingir seus objetivos, realizar seus sonhos, projetos e etc.? Como a população pode ter saúde emocional se vive  empaturrando-se de programas de TVs que enfatizam o medo, a cólera e a ira?
      Como podemos ter saúde espiritual se estamos estarrecidos contemplando as instituições sendo falidas, como por exemplo, a mais importante, a família, a educação e etc.??? Homens e mulheres espirituais assistem coisas hoje e leis lendo criadas para o mal e sem poder fazer nada, sofrem espiritualmente também, embora a Bíblia diga que o espírito está preparado mas a carne é fraca. Mas por que o mundo está enferno em trevas, no escuro e cheirando mal? Por que a verdadeira igreja, não tem sido sal da terra e luz do mundo , como disse o Mestre Jesus. O que pode esperar de uma civilização sem sal e luz?
       Essa pressão sobre o povo é desde os primórdios, seguido depois pelos grandes senhores proprietários das capitanias hereditárias e das sesmarias. Com nome diferentes a dominação se perpetua até hoje, pois vivemos em um pais com sistema econômico e social que é o capitalismo selvagem propalado aos quatro ventos pelas grandes empresas hipnotizadoras, rakeadoras de mentes e controladoras. O poder econômico continua , tanto interno como externo dominando...E muitos pensam que o coronelismo já era! As injustiças sociais, causadoras das favelas, dos sem terra, sem tetos, geram inveja, ódio, ira, gerando disputas e competições violentas incontroláveis porque o filho do dominador pode e outros não. E aí é fácil vermos a violência no campo, nas cidades, nas favelas , em todos os lugares...
      Os marketeiros com suas propagandas hipnotizadoras criam necessidades que antes não existiam, mas que agora existem e têm que serem satisfeitas. Mas será que todos podem satisfazerem? O que será que acontece com  uma criança pobre que brinca com um pedaço de pau, quando vê o filho do papai brincando com brinquedos importados e sofisticados? É isso que leva um garoto matar por causa de um par de tênis!
     O preconceito hoje, não é da cor, da etnia , é social, pois no capitalismo selvagem, hedonista, consumista, tudo tem que ser para agora, pois segundo a "Lei do Gerson". "você tem que levar vantagem em tudo". Você passa a valer, não pela sua moral, caráter e etc. Eu valho pelo que eu possuo no bolso ou em minha conta bancária.E por ai vai...
      A GERAÇÃO DIAZEPAM OU PLIM, PLIM..., envizeirada , enlatada, usando camisa de força,tenta por todos os lados, mas não consegue a libertação, pois está dopada pelos tranquilizantes que prometem uma "falsa paz social" Ela é como a história daquele elefantinho que quando nasceu fora amarrado com um a corda fraquinha, em uma estaca fraquinha e ele quando bebê , tentou..., tentou ...e não conseguiu, hoje, não sabendo a força que possui, continua, na mesma, corda, na mesma estaca, pois pensa que está preso. Ele desistiu! Amados tentar sempre, desistir, jamais!! Isso acontece, porque da mesma forma que o médico receita tais produtos, no intuito de curar a depressão, a insonia, a angústia, o toc, a síndrome do pânico, ou pelo menos criar uma maneira que  possibilite  ao paciente uma forma "normal" de se viver, ou sobreviver; da , mesma forma os dominadores, leia-se o sistema, através de suas forças poderosas, controlam a sociedade, que uma vez dominada, hipnotizada, fica amordaçada perdendo a lucidez, chegando ao ponto de não lutar pelos seus direitos, perdendo assim a cidadania, devido ter a sua atenção desviada pela mídia geral.
      Só mesmo o sangue de Jesus vertido na cruz do Calvário pode curar e libertar a pessoa através da verdade que liberta. Por isso em João 8.32, Deus diz: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará". João 8.36 "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Um povo, um caldeirão de miscigenação, formados por criminosos, revoltados, inocentes saqueados, roubados e dominados, só o Sangue de Jesus, para trazer libertação e cura para o espírito, a alma e o corpo.
     Agora você deve entender porque os consultórios dos psicólogos, psiquiatras, dos psicanalistas, dos clínicos, estão superlotados. Imaginem quantas pessoas já morreram como loucas em hospícios, por causas ,na maioria das vezes tão deprimentes, por não conseguirem encararem de frente suas crises e resolvê-las.
     Quero chamar essas crises aqui, como todos aqueles problemas que não são rotineiros, que fogem ao nosso controle, nas áreas físicas, emocionais, sociais e também, porque não, espirituais. Por falar na área espiritual, gostaria de entrar em outro assunto: A RELIGÃO.
     Em minhas palavras retromensionadas disse que o homem é um ser total, infelizmente, muitas das vezes, ele é visto de forma fragmentada, mas nós sabemos que o espirito, a alma e o corpo forma uma pessoa só: O homem. Da mesma sorte o Pai, o Filho e o Espirito Santo, são uma única pessoa:DEUS!
     Já ouvi muitas pessoas dizerem que a religião produz paz social. Ledo engano! A única pessoa que pode produzir paz verdadeira é Jesus e este não é uma religião. Mas o pior de tudo é que a religião trabalhou e continua trabalhando a favor do sistema, disfarçada de espiritualidade  principalmente, o grupo que participa da mídia. Não interessa o que está acontecendo, não vamos generalizar, mas alguns dos grupos mais poderosos da mídia evangélica querem mesmo é mercantilizar a fé, ou seja, estão trabalhando a favor do capital e também sem sombra de dúvida, da mesma forma que o Diazepam e plim, plin agem, elas estão agindo: Controlando as mentes, raqueando, hipnotizando... Deus, tem misericórdia, pois sei que muitos estão a teu serviço!!
      As necessidades são criadas pela propaganda, embora muitos tolos não acreditam que a propaganda tem esse poder e aqui pergunto a tais pessoas: Se a propaganda não tivesse tal poder, empresários de ramos vários, gastariam milhões de dólares com publicidade? Ora, faça-me favor! Quer seja na mídia evangélica ou secular, as massas continuam sendo controladas, pelas necessidades criadas por elas. Aqui se vê o domínio da vontade, do desejo, não importa se o programa, o show é evangélico ou não. O interesse por trás disso tudo é o consumo. O São SIFRÃO ($$$$$), hoje, é o Deus mais adorado do mundo.É fácil chamar os católicos de idólatras, não é? É você, qual tem sido o seu santinho? São Pedro, São Paulo, Santa Maria, Jesus Cristo, o Carro novo, a novela, a televisão? O que tem ocupado o lugar de Deus em teu interior, em teu espírito, em tua mente?
      A burguesia desde a segunda metade do século XVIII na Inglaterra, na Revolução Industrial, tendo como marca registrada , a exploração,provocou o  surgimento do proletariado, os problemas ambientais, tudo começou lá. O tão badalado efeito estufa, aquecimento global, teve início na Revolução Industrial, tudo com o apoio do rei (Aliança realeza X burguesia). Isso é antigo, o sistema político dominante sempre apoiou , apoia e acolhe em seu seio com bastante carinho, segurando com cuidado como se fosse um ovo esta prática de dominação. Olha mais: Muda-se o cão, mas a coleira continua a mesma. Os crentes e qui não vamos usar a palavra cristãos, lavados e remidos no Sangue de Jesus, pois crente até o diabo é, não conscientes, pois como já disse estão hipnotizados pela mídia, pois já aprenderam que ser diferente é normal, acham que o Brasil está uma maravilha, ficam contentes porque aqui tem liberdade religiosa. Sabe o que existe por trás desta verdade? Um poder de controle de massa horripilante que facilita aos religiosos profissionais (não todos), as ferramentas necessárias, para dominar. Deixam a religião "livres", mas com uma condição: Que trabalhe a favor do capitalismo. Por isso já disse que não existe diferença entre os mega shows Gospel e os seculares tão conhecidos e famosos: Que Deus me perdoe se não estiver errado, outra vez digo que não podemos generalizar mas, infelizmente, na na verdade, o propósito é, sem sombra de dúvidas, consumismo desenfreado e demonstração de poder, não de Deus, mas do super astro.
     O Diazepan, Frontal, Rivotril, PROZAC e PROJAC, são os controladores desse grande monstro de sete cabeças que é a pupulação, a multidão, controle, este, como já disse, protegido com todo o carinho e cuidado pelo sistema. Só que quando surgem as doenças, os problemas familiares, a violência, falta de saúde, segurança (dever do Estado e direito do povo), têm sido entregues nas mãos de Deus.
     Quando a crise não é solucionada culpam, primeiro,o  diabo, depois a Deus e ainda por cima, deixa o povo que sofre, com um complexo de culpa, pois dizem, por último, que não recebeu a benção por falta de fé. Quando não recebemos a cura, ou a solução de qualquer crise que estivermos passando, no fim, a culpa é sempre nossa. Quer uma prova? Já escutaram como esses jargãos viraram moda? Ei-los:" Deus é dez", "Deus é mais", "o Sangue de Jesus tem poder", "tá amarrado em nome de Jesus", "Deus quis assim". É este, infelizmente, o comportamento de todos ou quase todos os religiosos(da mídia). E ai, pergunto: Evangélicos, ou cacangélicos? Talvez, a resposta certa seja esta: Um povo cheio de fé, mas infelizmente dominado pelos remédios da mídia, que trabalha para o sistema que não só patrocina, mas também apoia. A verdade é que quando a ideia de que a bênção está demorando é porque não chegou ainda o tempo de Deus, de que devemos entregar tudo a providência divina, o tempo passa e o governo vai ganhando tempo, pois a mente do povo já está domada, cauterizada.
     Enquanto o povo entrega tudo para Deus, o Estado que deveria cumprir com os seus deveres: Saúde, Educação e Segurança, o triplé de todas as propagandas eleitorais; mas que ao terminar as eleições e eles, uma vez no poder, mesmo sabendo que são nossos representantes, nossos funcionários, não fazem nada...
     Como está a nossa saúde, nossa segurança e a nossa educação? Entregues as traças. E é este triplé, o causador da depressão e tantos outros problemas emocionais. Com a palavra, os médicos psicológos, psicanalistas, neurologistas, psiquiatras e analistas. Sendo assim, o Diazepam, o Prozac e o Projac, continuam desempenhando o seu papel muito bem, servindo de intermediários entre o sofrimento do povo e a vontade de Deus em dar saúde, segurança e educação para o mesmo. Dizem, Deus é soberano, quando Ele quer as coisas acontecem. E o povo, o povo brasileiro, um povo de fé por natureza, não reage , nem poderá reagir, pois o Dizepam e o Projac já o hipnotizou para que seja um cidadão políticamente correto e espere que na hora certa Deus o fará. Nós sabemos que a vontade de Deus é realmente boa, perfeita e agradável, mas como cidadãos brasileiros, Cristãos de verdade, independentemente das denominações, devemos assumir o nosso papel, de transformadores da sociedade. Infelizmente muitos que não conseguiram alcançar a bênção, doentes e com complexos de culpa já até abandonaram a fé. Não é para isso que Deus nos chamou. Ele quer que todos os seus filhos sejam realmente libertos (João 8.32, 36, e com lucidez e sem algemas mentais, físicas e espirituais, possamos exigir do Estado, nossos direitos, pois sabemos que o nosso Deus é soberano, mas temos que agir, para Ele reagir.
 Até a próxima, amigo leitor.
 Graça e paz!
 Pr. Leontino Sampaio.
  Pastor Evangélico e Professor de História e Geografia.
 DEUS É FIEL!

quarta-feira, 1 de maio de 2013

A BÍBLIA E O DÍZIMO.

O apóstolo Paulo e a administração da coleta de dinheiro na igreja


Por Eliseu Antonio Gomes

Observação:

1. Eu, Eliseu Antonio Gomes não sou pastor; 
2. Não sobrevivo com dinheiro arrecadado em igrejas (e não critico quem sobreviva); 
3. Devido aos dois pontos acima me sinto totalmente livre e desimpedido para defender o salário pastoral.

Paulo pregou contra pecados. E um desses pecados era o pecado da preguiça. Pediu que os cristãos de Tessalônica não convivessem com preguiçosos e que quem não quisesse trabalhar não deveria querer comer (2 Tessalonicenses 3.6-13). Este trecho bíblico é usado com interpretação errada contra quem exerce o ofício de pastor em tempo integral e é remunado para a função.

Sobre pastores preguiçosos escrevo logo mais em outro parágrafo deste artigo.

É um grande preconceito pensar que o exercício pastoral não seja trabalho. É trabalho tão ou mais digno que o trabalho secular, pois o pastor evangélico prepara almas para entrar no céu, enquanto que quem se ocupa de tarefas dessa vida lida com o que é passageiro aos olhos de Deus, coisas que um dia serão incineradas pelo fogo do Senhor, se não perecerem antes com os desgastes naturais (2 Pedro 3.7,12).

Há gente preconceituosa que olha para a figura pastoral sem lembrar que o próprio Jesus Cristo estabeleceu tal função nas igrejas, para o bem coletivo: "E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo" - Efésios 4.11-13.

Gente preconceituosa não considera que os pastores são pessoas vocacionadas, que oram pelos membros da Igreja, aconselha-os, ajuda-os em momentos complicados, estudam a Bíblia para compor o sermão que servirá de alimento para os ouvintes da sua pregação. E, injustamente, dizem a eles: "vão trabalhar, esqueçam o ganho fácil com os dízimos e ofertas!".

Críticos do recebimento de dinheiro como salário pastoral, usam a descontextualização bíblica e histórica para atacar pastores. Afirmam que o ganho não tem aprovação de Paulo, que o apóstolo nos deixou doutrina contrária à coleta de dinheiro com objetivo de que uma parte dela servisse como salário aos pastores. Os tais não ponderam que na Bíblia Sagrada encontramos textos normativos e textos narrativos. Encontramos a narração bíblica informando que Paulo trabalhou construindo tendas, mas não recebemos orientação na parte normativa solicitando que as lideranças seculares tenham ocupação em atividade secular. Pelo contrário, a norma bíblica apresentada por Paulo recomenda aos cristãos liderados que sustentem financeiramente o seu líder. 

Jesus e o trabalho de carpinteiro

Dias atrás, alguém dirigiu-se a mim dizendo que eu defendia o salário de pastores porque eu era um deles. E  continuou seu desfile de equívocos ao usar Isaías 53, como base de contestação à remuneração pastoral.

Ora, essa pessoa não sabe, ou se fez que não sabia, o seguinte:

Jesus Cristo trabalhou como carpinteiro. Mas precisamos lembrar também que Ele ao completar trinta anos, a idade de maioridade civil naquela sociedade judaica de então, tomou rédeas de sua vida, afastou-se do lar e abandonou a profissão para ser pregador das Boas Novas do céu. E além disso, convidou mais doze homens a seguirem em sua jornada abandonando suas profissões. Por três anos e meio o grupo de Jesus sobreviveu às custas de ofertas de seguidores, inclusive mulheres (Lucas 8.3).

Portanto, pastores evangélicos sustentados pela membresia de congregação são imitadores de Cristo, sim. Quem alega o contrário é desonesto ou erra pela falta de conhecimento bíblico.

Paulo e a fabricação e venda de tendas 

Em Atos 20, encontramos a narrativa de uma reunião de obreiros que Paulo dirigiu em Mileto. Ele conta fatos vividos em viagens, experiências de perseguição religiosa, profecias sobre seu futuro. E comenta que não cobiçou riquezas das pessoas que ouviram sua pregação, que era uma pessoa que mantinha ofício secular para sustentar-se.

Ao observar textos narrativos, como é o caso de Paulo, construtor de tendas, devemos ter o cuidado de analisar os contextos histórico e bíblico. Quanto a questão histórica, lembremos que Paulo agia como missionário, era um viajante. Não é possível fazer um paralelo com o cargo de um pastor que viva no tempo atual dentro de estruturas eclesiásticas já estabelecidas na função de líder em uma comunidade. Paulo chegava em localidades onde não havia estrutura de uma comunidade cristã estabelecida. Ora, como sobreviver de ofertas assim? Ele sobrevivia com seu labor pessoal em tarefas seculares e esperava o apoio de cristãos de igrejas distantes, gente cristã disposta a patrocinar sua missão (Filipenses 4.15-16). E após a nova comunidade cristã estar estabelecida, ensinava os membros sobre o dever da contribuição financeira e partia para outros horizontes, empossando sobre elas uma liderança local (2 Corintios 9.4-12; Tito 1.5-9).

O apóstolo anuncia que há dignidade em o pastor receber salário cuja origem seja a arrecadação de dinheiro da igreja. O texto normativo de Paulo: "Dígno é o obreiro do seu salário" - 1 Timóteo 5.18. 

Existe registro no Novo Testamento informando que Paulo recebeu ofertas para seu sustento:

"Não que procure dádivas, mas procuro o fruto que cresça para a vossa conta. Mas bastante tenho recebido, e tenho abundância. Cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus." - Filipenses 4:17-18. 

Imitadores de Jesus

Aqueles que são contrários ao salário pastoral também se utilizam equivocadamente de 1 Corintios 11.1 , quando Paulo solicitou aos cristãos que conviviam com ele que o imitassem. Mas quem faz uso dessa passagem nem se quer presta atenção no versículo em si. Paulo pediu para ser imitado em seu propósito de ser um imitador de Jesus Cristo. O advérbio "assim/como" (ARC, ARA) nos faz entender que precisamos imitar a Jesus, tão-somente. Ou seja, todos os cristãos precisam imitar a Cristo do mesmo modo que o cristão Paulo imitava.

Conclusão

Paulo não só era uma liderança, mas a maior entre todas lideranças de missionários que o cristianismo conheceu. Jamais devemos criticar qualquer liderança que faça o mesmo que Jesus Cristo e Paulo fizeram, trocar a profissão secular pela liderança do ministério cristão e receberem sustento por desempenhar ofício espiritual.

Enfim, é correto dizer que o obreiro é digno de seu salário. É honesto que o pastor evangélico receba e viva de salário da igreja. É certo esperar que o pastor assalariado desempenhe serviço espiritual em favor da congregação que lidera. É natural esperar que o pastor assalariado esteja disposto a visitar os membros, orar por eles, ter sempre horário disponível em sua agenda para receber o congregado em seu gabinete. É justo que o líder, mensalmente, preste contas aos ofertantes e dizimistas sobre o destino de valores financeiros arrecadados. É sensato que o liderado, o congregado, despreze pastores que não cumprem tais expectativas de ofertantes e dizimistas. É ato inteligente o congregado afastar-se do ministério de pastores omissos e ociosos e partir para outro ministério em que haja pastor evangélico responsável e trabalhador, devidamente enquadrado com a Palavra de Deus no que tange à clareza no trato com o dinheiro.

Obedeça e sujeite-se apenas ao pastor que vela por sua alma, mas não tenha o mesmo apreço por quem se diz pastor e não viva como tal (Hebreus 13.17). 
 
 
Obervações:
 
* Concordo em número gênero e grau com o escrito do texto acima;
* Sou Pastor auxiliar e não vivo do dízimo;
* O dízimo é bliblico, porém sou contra o mercantilismo da  fé a ponto de as vezes perguntar: Será que Deus não irá ter que levantar os reformistas para reformarem a Igreja Reformada. Temos sido alvos de chacotas por conta de tanto que se fala em dinheiro em muito igrejas e,
* Pode até ser legar, mas creio que não seja moral o enriquecimento individual proveniente de dizimos, ofertas e etc..
 
Graça e Paz a todos.